sábado, 1 de julho de 2017

JOSESSANDRO ANDRADE - LIVRO - COM CHEIRO DE MAR E QUIXABEIRA








Josessandro Andrade
O agitador cultural ou um poeta em transformação?

( Lailton Araújo )


Não é fácil escrever algo sobre qualquer pessoa. Uma palavra não colocada no devido lugar pode fazer um ego explodir em êxtase ou depressão pós-criação. É interessante ver nascer mais um livro em Sertânia, Estado de Pernambuco, Brasil.

Quebrando as formalidades - sou um aprendiz de crítico de plantão, pois o autor desta obra permitiu tal abuso - deixo registrada a admiração que tenho por Josessandro Andrade, poeta e historiador do dia a dia do Sertão. “Sandro”, como é conhecido entre os amigos e amigas, talvez seja a reencarnação de outros esquecidos escritores do Vale do Moxotó. Malditos do tempo? Não... Foram e são incompreendidos em uma região que não valoriza - como devia - as diversas formas de expressão cultural. Os talentos sertanienses voam iguais as aves de arribação. Sempre existirá uma cacimba - ainda com água - para saciar a sede do conhecimento e reconhecimento que as aves migratórias procuram? Penso que sim. Esta tal sede poderá matar de saudade, frustração e noites não dormidas. Como é bom morrer ou se encantar, procurando o que a leitura e escrita proporcionam, quebrando regras e preconceitos! O mundo muda de cor e forma na criação literária? Qualquer mestre sabe que a porta do conhecimento leva para outras dimensões e sonhos... O professor Josessandro poetiza nas salas de aula, nas discussões políticas (algumas acirradas e jogadas no tabuleiro de xadrez) e nas rodas da boemia. Qual poeta não é polêmico?

Fiquei surpreso com as homenagens neste livro. Sem plagiar: “não quero jogar confetes”! Prefiro citar a satisfação em ler um escritor maduro derramando sentimentos, histórias em forma de poemas, crônicas metrificadas ou não, e letras - soltas - sem quaisquer preocupações com estéticas. As noites de lua cheia e novas formas de reflexão podem deixar qualquer ser humano aberto à espiritualidade ou não!

“Com Cheiro de Mar e Quixabeira” tem os pés nos arrecifes pernambucanos e perfume de mato sertanejo. É biográfico quando registra fatos das obras de autores da terra, em uma época - única - de Sertânia. Percebo que foi escrito em transe, observando a sociedade, com os olhos críticos, sensibilidade apurada e mãos de um grande poeta. É um livro impessoal na maioria dos textos e contestador.  Será obrigatório nas cabeceiras de leitores de bom gosto e bibliotecas de pesquisas culturais.




terça-feira, 30 de maio de 2017

LAILTON ARAÚJO - WEBRÁDIO LINHA DIRETA - ENTREVISTA - 17/05/2017





Webrádio Linha Direta

Iniciativa da Secretaria de Comunicação do PT São Paulo

Programa - Estação Popular
Uma Parada Para a Música Independente

Entrevistador, Produtor, Apresentador e Locutor
Zulu de Arrebatá

Entrevistado
Lailton Araújo (Banda Moxotó)


PRIMEIRA PARTE





SEGUNDA PARTE





TERCEIRA PARTE







sábado, 25 de março de 2017

LAILTON ARAÚJO - AGUARDANDO SEU VOTO ARTÍSTICO...







L A I L T O N   A R A Ú J O


Está participando do “Festival Internacional de Cantores - Autores / Una Canción Por La Paz 2017”, organizado por “URI AL&C”, evento da “América Latina”, e que será realizado no Brasil, período de 12 a 14/05/2017, no município de “São Luiz do Paraitinga - SP”.

O tema de cada canção: “Direitos Humanos e Paz"


PARA VOTAR


1. Clique no link:   http://www.urialc.org/ 

2. Localize no lado direito da página - “Canal en YouTube”

3. Localize “via seta” minha composição:   “Afoxé - Lailton”

4. Clique no “polegar” e registre seu voto








terça-feira, 14 de março de 2017

LAILTON ARAÚJO PARTICIPA DE NOVA ANTOLOGIA...




TEXTO DA EDITORA PERSE

Sinopse


"Apresentamos a primeira Coletânea Apparere de Contos. Aqui você encontrará as 30 melhores Obras (na visão dos julgadores) dentre as mais de 90 que se inscreveram para participar desta Coletânea.

A experiência de editar essa Coletânea foi muito prazerosa, pois a princípio imaginávamos que por se tratar da primeira teríamos uma Coletânea Mista de Poemas, Contos e Crônicas e para nossa surpresa recebemos 368 inscrições. Com essa quantidade de inscrições decidimos dividi-la em três:

1.Coletâneas de Poemas;
2.Coletânea de Contos; e
3.Coletânea de Crônicas mais alguns Contos.

Nós do Projeto Apparere ficamos muito felizes pois o Projeto surgiu com o objetivo de “incentivar novos Autores e Autores em geral, a tirar seus Textos/Obras (Poesia, Trova, Haikai, Conto, Crônica, etc.) da gaveta e publicá-los em uma Coletânea, dando visibilidade a eles e compartilhando-os com o Mundo”; e pudemos fazer isso com 159 Autores."


Outras Informações - Clique Abaixo